Prefeito Aldo Brown parabeniza atletas Porturriquenses campeões pelo Sampaio Corrêa sub-17


O prefeito de Porto Rico do Maranhão, Aldo Brown usou as suas redes sociais para parabenizar dois atletas da zona rural de Porto Rico do Maranhão, que foram campeões pelo Sampaio Corrêa sub-17.

Ramonn do povoado Remanso, e Kerlon do povoado Engenho do Lago.

O gestor disse que está feliz com a conquista dos dois jovens, que terão futuros brilhante no futebol, que já estão vestindo a camisa de um grande clube que é o Sampaio.

Aldo Brown desejou muito sucesso para os jovens, e que muitas e muitas conquistas cheguem em suas vidas.

Veja abaixo a matéria completa do titulo do Sampaio:

Nesta sexta-feira, 23, o Tubarãozinho Sub-17 sacramentou o título do Maranhense na categoria diante do Pitanguense pelo placar de 1×0, em jogo bastante disputado no Castelão.

O título coroa um ano inesquecível para a torcida boliviana, que pode se orgulhar de ser Tricampeã Maranhense Profissional, Campeã Maranhense Sub-19 e, agora, Campeã Maranhense Sub-17, além dos títulos de Beach Soccer e o tricampeonato da Liga de Basquete Feminino.

Bola trabalhada de pé em pé, o Sampaio buscou encontrar espaços na defesa adversária, que propôs um jogo mais reativo em relação à postura agressiva do time tricolor. Mas, foi em uma bola parada, em cobrança de falta, que a Bolívia abriu o marcador, sagrando-se campeão maranhense Sub-17.

O JOGO

O primeiro tempo foi de poucas, mas boas chances para o time boliviano, que buscou o placar desde o início da partida, barrando na defesa do Pitanguense, que demonstrava manter o estilo de jogo defensivo para o restante da partida.

Arriscando articular jogadas pelas pontas, nas chances que teve, o Sampaio conseguiu finalizar a gol por meio do ponta-esquerdo Silva, com a participação fundamental do camisa 10 Pepeu na quebra de linhas do oponente.

O Tubarãozinho voltou para o segundo tempo determinado a tirar o zero do placar, e foi em mais uma jogada pelas pontas que a oportunidade surgiu, em consequência da falta recebida pelo ousado Silva, jovem de dribles curtos e muita velocidade.

Outra vez ele – Marcando na semifinal, Pepeu repetiu a dose em cobrança de falta à la Ronaldinho. O meia arrumou a bola, percebeu que a barreira não colocou ninguém para o bloqueio por baixo, e meteu, após o salto da barreira, no canto esquerdo inferior do goleiro… Golaço.

Jogo que já estava truncado durante toda a partida, ficou ainda mais disputado, e o Tricolor manteve a boa troca de passes, sem pressa, para arriscar infiltrações e triangulações pelas beiradas de campo sempre que surgisse as chances.

O Pitanguense ensaiou uma reação na parte final de jogo, mas não o suficiente para assustar o consistente sistema defensivo do Tubarãozinho, que sai triunfante de mais uma final do Maranhense nas categorias de base.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *