Moto Club vence o Sampaio Corrêa e vai à final do segundo turno do Maranhense

O Moto Club venceu o Sampaio Corrêa po 2 a 0 neste domingo, e garantiu classificação na final do segundo turno do Campeonato Maranhense. Contundente e mais efetivo dentro de campo, o triunfo rubro-negro veio dos pés de Ronald no primeiro tempo e Waldir no segundo.

RESSUREIÇÃO X FRUSTRAÇÃO (3X)

O Moto Club precisava vencer a partida para continuar na luta por vagas em Copas do Brasil e Nordeste, além da Série D do Brasileiro no ano que vem. O time fez uma campanha irregular e longe de ser o favorito nas chaves. Como clássico é outra cometição, o Rubro-Negro levou a melhor diante dos Tricolores. A primeira parte já foi, agora é tentar forçar uma terceira final no próximo fim de semana (sábado ou domingo), encarando o Maranhão na final do segundo turno. Já o Sampaio acumula sua terceira eliminação em menos de 10 dias: Copa do Brasil, Copa do Nordeste e agora o Maranhense.

Primeiro tempo

O Moto Club dominou as ações nos primeiros 15 minutos, e foi mais efetivo quando criou chances no ataque. Depois de pressionar em todos os lados, o Papã abriu o placar logo aos oito minutos, com Ronald acertando o canto esquerdo de Luiz Daniel. Depois do gol, o time rubro-negro continuou pressionando e quase ampliou com Arlen, aos 14, se não fosse Joécio bloqueando o lance. O Sampaio só “entrou” de fato na partida a partir dos 20 minutos. Só que mesmo assim, ainda não era efetivo na criação das jogadas. O time tricolor pecava na troca de passes e jogadas áreas sem sucesso. A única chance clara de empate foi com Pimentinha aos 42 minutos, quando o camisa 11 parou em Éder, que chegou a salvar duas vezes no lance.

Segundo tempo

O Moto Club aproveitou o início da segunda etapa para liquidar a partida logo no primeiro minuto. Waldir aproveitou o rebote de Luiz Daniel e encobriu Allan Godói que tentava tirar o lance. Assim como no primeiro tempo, o Papão ditou o ritmo do jogo até os 15 minutos. Depois, a bola ficou mais com o Sampaio, que pouco produzia com ela nos pés. As tentativas de chutes esbarravam nos próprios companheiros, e as descidas até a linha de fundo e levantamento de bola na área eram ações inférteis, que pouco surtiam efeito na meta rubro-negra. O único lance de perigo a favor do Sampaio foi com Eder, goleiro do Moto Club, falhando ao segurar a bola e deixar para Matheus Martins chutar. Porém, o goleiro rubro-negro conseguiu se sobressair e defender em dois tempos. Até o fim, foi o Sampaio pressionando sem força, e o Moto se defendendo com efetividade.

GE/MA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *