Flávio Dino vai se licenciar para votar em Pacheco na eleição do Senado


Ministros do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vão se licenciar dos cargos nesta semana para participar das eleições para o comando da Câmara e do Senado, marcadas para a quarta-feira, 1º.

O governo apoia as reeleições do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). De acordo com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, a orientação do governo é que ministros que são parlamentares retornem ao mandato para votar também na eleição para o Tribunal de Contas da União (TCU), que deve acontecer no dia 2.

Todos os ministros que conseguiram uma cadeira no Congresso na eleição de 2022 precisarão se licenciar obrigatoriamente para assumirem o mandato. Mesmo assim, o ministro da articulação política de Lula afirmou que a recomendação se estende aos que não precisam tomar posse, como é o caso do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, que está no meio do mandato de oito anos como senador pelo PSD do Mato Grosso.

–Ele não toma posse, o mandato dele é de oito anos, mas a orientação é se licenciar e votar – disse Padilha após um evento do PT na Câmara.

O próprio Padilha é deputado pelo PT de São Paulo e vai retomar o mandato para votar em Lira na quarta e na eleição para o TCU na quinta. O PT se encaminha para apoiar a candidatura do deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR) para substituir Ana Arraes na Corte de Contas.

Além de Fávaro, os ministros da Educação, Camilo Santana (PT-CE), do Desenvolvimento Social, Wellington Dias (PT-PI), dos Transportes, Renan Filho (MDB-AL), e da Justiça, Flávio Dino (PSB-MA), vão assumir o mandato no Senado no dia 1º e votar a favor da recondução de Pacheco, que enfrenta o ex-ministro e senador eleito Rogério Marinho (PL-RN). Já Lira, além do apoio de Padilha, vai contar com os votos dos ministros do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira (PT-SP), do Trabalho, Luiz Marinho (PT-SP), da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta (PT-RS), do Turismo, Daniela Carneiro (União-RJ), e das Comunicações, Juscelino Filho (União-MA).

As ministras dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara (PSOL-SP), e do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede-SP), também precisam se licenciar para assumir as cadeiras na Câmara. Elas, no entanto, fazem parte dos poucos partidos que não estão no bloco de Lira, mas sim no de Chico Alencar (PSOL-RJ). (O Globo).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *